A Casareal industrializa sua matéria prima das florestas naturais da Amazônia, que é a maior região do mundo produtora de madeira de todos os tipos e para qualquer finalidade, tais como: construção civil e naval, fabricação de papel, álcool, carvão, extração de óleos e essências, etc.

Uma das limitações para a utilização do recurso florestal amazônico tem sido o desconhecimento de suas potencialidades e das implicações que podem ocorrer com a sua extração.

A qualificação e a quantificação da biomassa devem ser cuidadosamente inventariadas, assim como o sistema e os ciclos de colheita, antes de iniciar qualquer intervenção.

Para tanto a empresa mantém uma séria parceria com vários extratores comprometidos com o desenvolvimento de um programa exclusivo de produção sustentável localizado na região Amazônica (estado do Pará – Brasil) de maiores extração de árvores controladas pelo governo brasileiro através do ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente).

As árvores tem sua diversificação botânica entre os vegetais de mais alto nível de desenvolvimento, em função da elevada complexidade anatômica e fisiológica. Elas se subdividem em Gimñospermas, cuja classe mais importante são as coníferas e angiospermas, cujo sub – grupo dicotiledôneas existe um número de espécies extraordinariamente grande nas zonas tropicais da terra.

A Floresta Tropical Amazônica, com cerca de 250 milhões de área de matas densas, possui cerca de 3.500 espécies de árvores até hoje identificadas. É comum encontrar mais de 100 espécies diferentes em apenas um hectare. A Casareal dedica-se ao processamento de madeiras denominadas “Duras ou Pesadas” do sub grupo dicotiledôneas cujas espécies mais conhecidas pelo seu valor econômico, no Brasil, são:

Madeiras

Nome Vulgar
Nome Científico
Fonte Bibliográfica instituição
Massa Específica Aparente a 1,5% unidade (KGF/CM2)
Limite de resistência da madeira Verde (KGF/CM2)
Módulo de elasticidade a flexão estática da madeira verde (KGF/CM2)
Compressão Axial
Flexão Estática
Guaruba
Goupia Glabra
LAMEM
870
518
986
139.600
Guajará
Pouteria sp
IPT
920
553
992
165.500
Ipê
Tabebuia sp
IPT
1010
748
1514
156.000
Louro Vermelho
Nectandra rubra
LAMEM
690
417
803
91.300
Maçaranduba
Manilkara sp
LAMEM
1030
596
1293
150.700
Sapucaia
lecythis usitata
SUDAM
1100
592
1370
146.500
Tanibuca
Buchenavia sp
IPT
880
553
1276
137.600
Piquiá
Bagassa Guianemsis
LAMEM
800
573
1129
124.800

Fonte:

IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo
LAMEM – Laboratório de Madeiras e Estruturas de Madeira – USP/ESC. ENG. São Carlos
SUDAM – Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia – Dep. Recursos Naturais.

Open chat
Fale agora com um consultor !